Porque você investidor esta perdendo dinheiro na poupança e como ter melhor rentabilidade

Porque você investidor esta perdendo dinheiro na poupança e como ter melhor rentabilidade

Guardar dinheiro na poupança é um hábito de todos brasileiros. Por isso, quando se trata de fazer alguma aplicação para crescer a renda, muita gente tem a poupança na cabeça.

Embora quem faça isso aja de forma preventiva, gastar menos do que ganha para ter uma sobra de recursos para o futuro pode, na verdade, gerar prejuízos no longo prazo sem que a pessoa sequer perceba.

Na prática, ela deixa de receber mais do que poderia, sem precisar correr riscos adicionais. Com o passar do tempo, a diferença do rendimento da poupança em comparação a outras aplicações tão seguras quanto poupança pode ser significativa, somando quase a metade aplicada.

Conversamos com assessores da AR Investimentos para identificar oportunidades e como alocar recursos na atual situação econômica do país.

A poupança rende 70% da meta da Selic mensalizada hoje perto de 3% o que daria perto de 2,1% ao ano, enquanto um CDI esta por volta de 4,8% ao ano. Logo estaria perdendo dinheiro ou deixando de ganhar.

O que é CDI ?

Primeiramente, CDI é uma sigla para o termo Certificado de Depósito Interbancário, que são títulos emitidos por instituições financeiras.

Esses títulos têm lastro em Títulos do Tesouro Nacional e são negociados exclusivamente entre as instituições financeiras. O objetivo é sanar os fluxos de caixa de curtíssimo prazo de um banco para outro.

Por regra do Banco Central, os bancos precisam “fechar” o dia com saldo positivo no caixa.

Agora imagine que um dia eles tiveram saques acima do previsto ou saques que superaram os depósitos, fechando o dia no negativo.

Neste caso, os bancos tomam empréstimos de curtíssimo prazo (1 dia) de outra instituição financeiras a fim de sanarem o seu caixa.

Assim, esse sistema gera fluidez ao mercado financeiro pois quem tem excesso de depósitos em um dia cobre com recursos quem tem excesso de saques no mesmo.

A taxa cobrada entre os Bancos é o DI de 1 dia, de forma que esta taxa anualizada é o CDI.

Entretanto, vale lembrar que você não investe no CDI e sim em CDBs, LCIs, LCAs, LCs, entre outros. Ou seja, estes investimentos rendem um “percentual do CDI”. Como já vamos explicar.

 CDI vs Selic ?

Em primeiro lugar, CDI é a taxa base para todos os investimentos e empréstimos entre pessoas físicas e jurídicas. Da mesma forma, a Selic é a taxa base para as mesmas operações, porém quando envolvem pessoas (físicas ou jurídicas) com o Governo.

Portanto, a Selic se traduz na taxa que o governo paga para quem empresta dinheiro para o mesmo, por meio dos Títulos do Tesouro Nacional.

Você já deve ter ouvido que a Selic é a taxa com que o governo rentabiliza o Tesouro Selic, no Tesouro Direto. Este é considerado o investimento mais seguro no Brasil.

O Certificado de Depósito Interbancário é sempre próximo a Selic, normalmente 0,05% ou 0,1% abaixo da Meta Selic (que você vê nos jornais) e praticamente igual à Selic real.

 Quanto rende CDI ?

Vale lembrar que o Certificado de Depósito Interbancário não rende, já que ele não é um investimento. Na verdade, ele é uma taxa que serve de referência para investimentos. A Selic funciona da mesma forma.

Veja o gráfico :

Percentual do CDI como referência para Investimentos?

Como dito anteriormente, a taxa cobrada pelo CDI de um dia passou a ser utilizada como a taxa de referência para todas as aplicações financeiras, bem como todas as operações de crédito do sistema financeiro.

Por exemplo, procurando informações sobre investimentos, você vai se deparar com tabelas de rentabilidades passadas com informações como “90% do CDI”, “100% do CDI” ou ainda “120% do CDI”.

Como na tabela abaixo:

O que isso quer dizer? Vamos a um exemplo:

Imagine que o CDI esteja em 6% ao ano. Uma carteira que tenha rendido 9%, vai ter seu rendimento apresentado como 150% do CDI.

Isso porque o CDI é 6%, sendo a nossa rentabilidade de 9% maior que o CDI em 50%.

Taxa de Referência ou taxa livre de risco

Com o passar do tempo, como os investimentos considerados mais seguros e simples do mercado passaram a ser baseados nesta taxa, ela acabou sendo chamada de taxa livre de risco.

Assim, em todo tipo análise de investimentos, o projeto em questão tem de ser comparado com o CDI.

Afinal, de que adianta aplicar um grande capital em um empreendimento (como abrir um negócio), se este não conseguir render pelo menos a taxa refência do mercado?

É possível fazer este tipo de comparação muitas vezes, inclusive utilizando a ferramenta que está no início do artigo.

Primeiramente, nela você coloca a taxa inicial. Depois, a data final  ou resgate de seu investimento. Depois, usando seu investimento e percentual do Certificado de Depósito Interbancário, é possível descobrir em quantas vezes a aplicação multiplicou o seu dinheiro.

Certa vez, conversei com um investidor que estava muito orgulhoso, pois havia comprado um apartamento por R$ 100.000 no ano 2000 e que o mesmo estaria valendo agora R$ 600.000.

 

CDI como benchmark para investimentos

Imagine que você tenha um investimento que considera interessante e que o mesmo rendeu 0,63% naquele mês. Como saber se este investimento foi bem ou mal? Basta comparar com o Certificado de Depósito Interbancário.

Se a taxa para o mesmo mês do CDI foi de 0,7%. Logo, quer dizer que o seu investimento rendeu somente 90% do CDI (0,63%/0,7% = 0,9 ou 90%), ou seja, ficamos abaixo da meta.

A partir de agora, sempre que você quiser “medir” investimento, saiba que ele tem que “vencer” o CDI.

No início do artigo você viu que a maior parte dos CDBs são sempre apresentados com uma rentabilidade relativa ao CDI ( 100%, 112% ou 116% do CDI).

Da mesma forma, os fundos de investimentos também apresentam sua performance passada comparada com o CDI.

No gráfico abaixo, mostramos a comparação entre um Fundo de Crédito e o CDI. Repare que o fundo rende acima da taxa. Por isso, sua rentabilidade relativa é maior do que 100% ( média de 132% do CDI).

Fundos Imobiliários (FII)

Fundos Imobiliários são um tipo de fundo de investimento que aplicam em empreendimentos imobiliários, como shoppings, hospitais e prédios comerciais ou ativos relacionados, como CRIs. Ao adquirir cotas de FIIs você se torna um dos “donos” desse imóvel, recebendo os aluguéis como lucro.

Os FIIs funcionam de uma maneira simples. As construtoras financiam suas obras como uma gestora, que divide parte do imóvel em cotas do fundo. Cada dono de cotas recebe um valor proporcional dos aluguéis, que é o rendimento do fundo. Além desse rendimento, o investidor pode ganhar vendendo as cotas por um preço mais alto que o preço de compra.

 

Investimentos que rendem CDI

Normalmente, os investimentos que rendem um percentual do Certificado de Depósito Interbancário são chamados de Pós-Fixados.

Afinal, quando você contrata um CDB, por exemplo, e ele paga 100% do CDI, você não sabe exatamente quanto vai ganhar. Como você pode ver no gráfico que mostramos mais a cima, a taxa varia ao longo do tempo.

Em 2005, ganhar 100% do CDI significava ganhar 20% ao ano.

Da mesma forma, entre 2015 e 2016 isso significava ganhar 14,15% ao ano.

Em 2019, isso significava ganhar 6% ao ano. Em 2020, é o mesmo que ganhar 2,90%!

Por isso, este investimento é chamado de pós-fixado. Assim sendo, você vai ganhar uma rentabilidade que depende da taxa futura, assim como os títulos públicos pós-fixados.

CDBs

Os CDBs, que nada mais são do que empréstimos feitos aos bancos, normalmente são atrelados ao CDI. Este tipo de investimento paga imposto de renda e conta com a proteção do FGC ( até R$ 250.000,00.) Leia mais sobre CDBs.

Os CDBs acima estão descritos em “percentual do CDI”, como 103% do CDI por exemplo.

Os CDBs podem ser encontrados com rentabilidades entre 90% do CDI ( ideal que sejam superiores a 100%), até 130% do CDI – para prazos bastante longos, como 6 anos.

LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) também são empréstimos, mas direcionados para financiar compradores de imóveis. Sua vantagem é a isenção de Imposto de Renda.

Já as Letras de Crédito Agrícola (LCA) funcionam como as LCIs, porém servem como fonte de financiamento para o agronegócio.

Por serem isentas de imposto de Renda, as LCIs podem ser vantajosas em relação aos CDBs, principalmente para prazos menores do que 2 anos.

Imagine um CDB com prazo de vencimento de 180 dias rendendo 109% do CDI. Este CDB vai ter impostos de 20%. Ou seja, depois dos impostos vai render: 109% x ( 1 – 20%) = 87,2% do CDI.

Desta forma, uma LCI para o mesmo prazo que renda 90% do CDI vai ser mais vantajosa do que um CDB.

Onde Investir o Dinheiro? Melhores Investimentos para 2020

LC

As LCs funcionam como os CDBs. No entanto, o empréstimo é feito para financeiras. Estas são instituições que “financiam” imóveis, automóveis e crédito consignado entre outros, mas que não são bancos. Esses investimentos também tem garantia do FGC.

 

Fundo de Investimentos

Existem também muitos fundos de investimentos que compram ativos como os acima (CDBs, LCIs, LCAs, Debêntures), como também títulos do Tesouro e diversos outros tipos de investimentos, conforme o tipo de fundo.

Por isso, eles também têm o CDI como parâmetro de rentabilidade. Da mesma forma que você viu no fundo que usamos de exemplo mais acima no texto.

No geral, os fundos costumam ter prazos mais curtos de resgate em relação aos ativos antes citados, com rentabilidades melhores. Porém, a desvantagem é não terem a garantia do FGC.

Fundos de investimento: comece a investir - Finanças Inteligentes

Quer investimentos que superam o CDI?

Este site não existe apenas para te ensinar a encontrar o investimento mais adequado para você. Mas também para te ajudar a ter acesso a estas opções, que muitas vezes não estão ao alcance nem mesmo de grandes investidores.

Isso porque o mercado financeiro no Brasil é muito concentrado nos grandes Bancos. Consequentemente, estes acabam por oferecer as taxas menos atrativas para os investidores do que bancos de menor porte.

Com a ajuda da disseminação da cultura da educação financeira e da criação do FGC, o investidor hoje tem a mesma segurança investindo em um CDB ou LCI de um banco de pequeno ou de grande porte.

Por isso, você não só pode, mas deve procurar uma corretora de valores para investir o seu dinheiro. As vantagens são muitas: melhor atendimento, melhores opções de produtos e taxas menores mesmo para investimentos de menor parte.

Nesse sentido, existem corretoras mais conhecidas, como a XP Investimentos, Genial, Guide, Easy Invest, Rico, Clear e outras. Compare e escolha.

Além disso, abaixo você pode preencher um formulário para falar com assessores de investimentos de uma delas.

Fonte: Juliano Custódio e de Natalia Gómez (Eu quero Investir)

 

Deixe um comentário