Não tente adivinhar futuro

Não tente adivinhar futuro

Seguimos o assunto de investimentos para sua APOSENTADORIA e essa semana o BACEM reduziu novamente a taxa Selic para 2% ao ano. 

Isso quer dizer, que os rendimentos da poupança, que rendem 70% da meta da Selic, representa 1,4% de lucro ao ano. Se descontar a inflação (IPCA) de 1,72% a.a. da sua poupança, o rendimento será negativo.

O que era uma realidade dura ficou ainda pior, pois com os juros baixos você precisará fazer investimento com mais riscos para buscar uma APOSENTADORIA que a sua família possa aproveitar de um estilo de vida confortável e tranquilo. Se não pensar o quanto antes sobre isso, correrá sérios riscos de no futuro, ficar dependente do governo ou de familiares. Ainda que a sua idade alvo para aposentadoria demore alguns anos, ou se já está chegando, você precisa de um plano para manter o padrão de vida que deseja. É fundamental que se prepare para suas necessidades futuras, incorporando expectativas de custos de assistência médica, fontes de renda, taxas de imposto, benefícios de Seguro Social, assistência de longo prazo, etc.

O brasileiro é carente de educação financeira, o que dificulta a criação de riqueza a longo prazo, porém, a realidade parece que vem se alterando. Para quem não perdeu renda ou emprego, dois fenômenos vem acontecendo com o impacto da pandemia Covid 19: o PRIMEIRO é que as pessoas deixaram de gastar com supérfluo (como roupas, presentes e bares) que as impediam de guardar dinheiro e o SEGUNDO, com a taxa de juros mais baixa da história, as corretoras, bancos e gestoras de patrimônio levaram para o Youtube uma grande quantidade de conteúdo sobre finanças e investimentos, via lives de qualidade, que devem ser aproveitado por todos para aprender cada vez mais.

Os números não mentem! Se fosse em outra época, o Ibovespa estaria em colapso com saque, os mercados estariam em pânico pelos balanços de empresas com prejuízos. Felizmente, hoje o que se

vê é o contrário, pois a bolsa vem subindo desde o começo da pandemia

No início dessa crise, muitos investidores, “gurus” e casas de recomendação, aconselharam a zerar suas posições, acreditando em uma caída fortíssima da bolsa de valores. Um amigo chegou a acreditar que a bolsa chegaria a 30 mil pontos.

Mas estes e todos que recomendavam a saída da bolsa estavam errados, pois o brasileiro percebeu este mercado e a Ibovespa vem crescendo constantemente. O número de investidores em ações e fundos imobiliários crescem a cada dia e as corretoras de investimentos nunca abriram tanta conta.

Mesmo com a crise, eu não tinha a visão pessimista do mercado de ações. Em uma análise fundamentalista, retirada de ensinamentos dos maiores investidores do mundo, a situação que percebi era oposta: os preços baixos das ações eram as melhores oportunidades para compra, e não para a venda.

Se você não está preocupado com seu futuro, não pense que o governo vai te ajudar; na verdade ele vai tentar tirar o máximo do que você tem. Talvez essa seja a oportunidade para pensar no futuro, no seu legado de vida. Procure um consultor que possa te ajudar com os primeiros passos. Ou, busque conteúdo na internet o quanto antes para entender o poder dos juros (e como eles podem trabalhar para você ganhar ainda mais) e os ganhos possíveis ao investir em boas empresas. 

Por Adriano Tizzo. 

Consultor de Investimentos pela CVM. 

Deixe um comentário