BTG Pactual (BPAC11) compra Necton Corretora por R$ 350 milhões

BTG Pactual (BPAC11) compra Necton Corretora por R$ 350 milhões

BTG Pactual comprou a totalidade da Necton Investimentos pelo valor de R$ 350 milhões. O negócio ainda não foi anunciado oficialmente. As informações são da ‘Exame” e foram publicadas na noite do último domingo (25).

Por Juliano Passaro.

O investimento irá reforçar a estrutura do BTG Digital, que é voltado ao investidor de varejo do BTG. A Necton Investimentos possui mais de 40 mil clientes, além de cerca de R$ 16 bilhões em ativos sob custódia. Já o BTG, em agosto, possuía R$ 120 bilhões em ativos sob custódia, de acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Em setembro, o BTG anunciou o lançamento do BTG+, a plataforma digital de varejo com todos os serviços para pessoas físicas. Além disso, houve também o anúncio do BTG+ Business, voltado à oferta de serviços para pequenas e médias empresas (PMEs). O banco tem como intuito oferecer um serviço completo aos seus clientes, para que eles possam fazer o uso diversificado dos produtos oferecidos nas plataformas.

A Necton Corretora possui dois anos de mercado. A empresa foi fundada a partir da fusão entres outras duas corretoras, a Spinelli e a Concórdia. O executivo Nelson Spinelli é um dos principais acionistas da Necton, além de dar o nome à antiga companhia. Outro acionista que possui grande participação na Necton é Luiz Fernando Furlan, ex-ministro do Desenvolvimento e da família que era dona da Concórdia e da antiga Sadia, que pertence, atualmente, à BRF.

 

SAIBA MAIS: Conheça seu perfil de Investidor, clique aqui.

Ademais, a Necton ainda tem como sócios o diretor-presidente Marcos Maluf e o diretor de Distribuição, Rafael Giovani.

A aquisição da Necton pelo BTG Pactual mostra as alterações que estão acontecendo para o investidor de varejo. Cada vez mais pessoas estão saindo da renda fixa e de investimentos considerados mais seguros para investir na bolsa de valores. Isso acontece devido à taxa de juros básicos (Selic), que se encontra no menor patamar de sua história no País. Consequentemente, o processo de digitalização também fica evidente.

Fonte: Suno Research.

Deixe um comentário