Brasil e os outros países do BRICS juntam-se em consórcio para pesquisar blockchain

Na última semana, o Brasil, por meio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) anunciou, durante a 10ª Cúpula do BRICS, a criação de um consórcio com os países participantes do grupo (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) para pesquisar, de forma colaborativa, as possibilidades da blockchain e DLTs no contexto do desenvolvimento da economia digital.

Além do BNDES, que tem explorado o potencial do universo das criptomoedas, inclusive emitindo um token próprio na blockchain Ethereum, também fazem parte do grupo o Vnesheconombank (Banco de Desenvolvimento Russo), o Banco de Exportação-Importação da Índia (Exim Bank), o Banco de Desenvolvimento da China (CDB) e o Banco de Desenvolvimento da África Austral (DBSA).

“O Vnesheconombank trabalha com os bancos de desenvolvimento dos países que integram o BRICS em uma variedade de áreas-chave, incluindo cooperação financeira, desenvolvimento de financiamento de crédito em moedas nacionais e implementação de inovações. Esse trabalho conjunto abre novas oportunidades para exportadores russos, operadores de grandes projetos industriais, receptores, entre outros. Este acordo atual permite que os bancos de desenvolvimento dos países do BRICS estudem as aplicações de tecnologias inovadoras para infra-estrutura e otimização de produtos bancários”, disse Mikhail Poluboyarinov, Primeiro Vice-Presidente – Membro do Conselho do Vnesheconombank.

Ainda não está claro como as pesquisas serão conduzidas pela organização e como elas podem beneficiar os cidadãos dos países que integram o BRICS.

Fonte: Criptomoedasfacil.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *